29/7/2009
Nilton Santos dá parabéns a Amarildo, “o possesso”, pelos 70 anos.


Nascido em Campos de Goytacazes no norte fluminense, Amarildo completa hoje 70 anos ainda com uma saúde de touro. Parceiro de Nilton Santos no Botafogo e na Seleção Brasileira Bi-campeã mundial, em 1962, os dois jogadores tornaram-se amigos.

Na opinião da “Enciclopédia” do Futebol, Amarildo teria sido “um bom jogador, tão bom, que substituiu o Pelé.”

Por ser mais velho, Nilton sempre dava conselhos ao colega de clube e não foi diferente no que talvez tenha sido o maior desafio de Amarildo na carreira: substituir Pelé, no jogo contra a Espanha, na Copa de 1962, no Chile.

- Conversei com ele para que não tentasse entrar no time pensando em jogar o futebol de Pelé e sim o que ele já fazia no Botafogo. Lembrar-se de que Didi, Garrincha e Zagallo já jogavam com ele no clube - disse Nilton Santos, tranqüilizando-o.

Além de ter marcado os dois gols da vitória sobre a Espanha, Amarildo fez mais um na grande final contra a Checoslováquia.

Pelo seu estilo de jogo, Amarildo ganhou o apelido de “Possesso” do cronista Nelson Rodrigues. Na autobiografia “Minha Bola, Minha Vida”, Nilton Santos revela que os jogadores da seleção - Pepe e Garrincha - também o chamavam de “Papagaio do Mangue”, em razão dos palavrões que usava dentro de campo.

Amarildo jogou pelo Botafogo entre 1958 e 1963, quando foi negociado com o Milan, da Itália. Na Estrela Solitária, balançou as redes adversárias 135 vezes em 238 partidas, sendo o décimo primeiro maior artilheiro do clube. Ao lado de Nilton, foi bi-campeão estadual em 1961 e 1962, entre outras conquistas. Na seleção canarinho, o “Possesso” teve 24 participações e marcou nove gols.

No seu 70º aniversário, o amigo Nilton Santos deixa a seguinte mensagem:

- Saúde. Que você tenha uma vida pessoal tão feliz quanto a que teve como jogador.